quinta-feira, 31 de julho de 2014

Desfecho: Marido teria assassinado a esposa em Coelho Neto Para ficar com os bens, ele responderá por duplo homicídio

SHARE
Blog do Kim Pereira - quinta-feira. 31 de julho de 2014
Por Portal Coelho Neto

O Delegado titular Dr. Sidney Tenório concluiu nesta quarta (30), o inquérito policial que investigava o duplo assassinato ocorrido no último dia 08 em Coelho Neto.

Após concluir as investigações policiais do caso, Dr. Sidney indiciou o acusado José Oscar Azevedo da Silva por duplo homicídio duplamente qualificado, pela morte de sua esposa Antônia Gomes da Silva, mais conhecida por Toinha dona das Lojas Joaman Calçados, morta por pauladas e do pedreiro José Adalmir da Silva morto com 6 tiros de revólver calibre 38. O delegado também solicitou a justiça que transforme a prisão temporária em preventiva.

Em depoimento, o suspeito não confessou o crime. E insiste que matou por legítima defesa, e para dificultar as investigações o suspeito alega ter perdido a arma utilizada no crime. No entanto, para a polícia há vários indícios de que José Oscar seria o autor do duplo assassinato que após o ato seguiu foragido, mas sabendo que estava próximo de ser localizado pela polícia acabou se entregando dias depois, onde permanece preso na carceragem do Distrito de Polícia Civil do Município, a disposição da justiça.

Detalhe do duplo homicídio
Para a polícia o suspeito, primeiro assassinou a esposa, e para não deixar testemunha ocular do crime executou o pedreiro com tiros a queima roupa que lhe atingiram a cabeça, braços, e costas. Após descarregar a arma na vítima, o suspeito recarregou novamente, e depois de ter certeza que José Adalmir já estava morto, ele fugiu.

Bens /Dinheiro foi à motivação do crime
De acordo com a polícia, o processo de divórcio do casal teria causado o desfecho bárbaro, e ao que tudo indica o crime foi planejado pelo marido que não aceitava a separação e para ficar com os bens/e dinheiro matou a esposa.
Além de depoimento de várias pessoas próximo da empresária, que tinham conhecimento das constantes agressões e ameaças, a polícia também encaminhou a justiça 16 cartas nas quais existem o relato da própria vítima.

A equipe parabeniza toda equipe que esteve empenhada todos estes dias buscando provas, testemunhas, e agilidade na conclusão do inquérito policial, Dr. Sidney, IPC Durlan, Júnior, Daniel, e os Escrivães Jean Brito, e Ellyelson Gutherres.
SHARE

Author: verified_user

0 comentários:

Outros Blogs

Postagens mais visitadas

Arquivo do blog