quinta-feira, 2 de julho de 2015

Governo municipal promove troca de comando na GCM de Chapadinha

SHARE
Blog do Kim Pereira - quinta-feira, 02 de junho de 2015
Por SECOM/PMC

Subtenente Nonato pediu exoneração e alegou motivos particulares; Novo comandante será anunciado amanhã, às 17h.
Nonato entregou Carta de Agradecimento ao governo municipal
Diante do pedido de exoneração do comandante da Guarda Civil Municipal de Chapadinha, Subtenente/PM Raimundo Nonato, encaminhado à prefeita Ducilene Belezinha, a gestora promove mudança na instituição. O nome do novo comandante será anunciado somente amanhã, na cerimônia de posse, às 17h.

Nonato já tinha colocado o cargo à disposição em outras ocasiões, mas a prefeita não havia aceito. Na manhã desta quinta (2), o militar entregou uma Carta de Agradecimento à prefeita e ao secretário de Articulação Política, Aluízio Santos. Segundo Nonato, o pedido de exoneração “é particular e irrevogável”, mas se coloca à disposição para continuar contribuindo com o governo.

Nonato agradeceu à confiança depositada pela prefeita, e por ela ter dado aval ao seu trabalho, encaminhando à Câmara Municipal, Projeto de Lei que dispõe sobre a criação do Estatuto da Guarda Municipal. A prefeita já confirmou que Nonato assumirá nova função, em outra área, também importante da administração municipal.

Belezinha elogiou o trabalho do subtenente durante os sete meses à frente da GCM, destacando seu empenho e ressaltou que a decisão de deixar o comando da guarda foi exclusiva dele, que é peça importante no grupo e já tem nova função a ser desempenhada no governo, a ser anunciada brevemente.

Aluízio também enalteceu o trabalho de Nonato: “O subtenente foi incansável no desempenho de sua função. Foi em busca de parcerias com a iniciativa privada, para equipar melhor as dependências da sede da instituição, lutou pela criação do Estatuto da GCM - que a prefeita acaba de enviar o projeto à Câmara - e é um grande entusiasta da criação da Secretaria Municipal de Segurança”.

Sob comando de Nonato, a GCM realizava reuniões a cada 15 dias, onde eram convidados psicólogos, padres, pastores, assistentes sociais, para proferirem palestras aos guardas. O ex-comandante disse que um dos principais fatores que o influenciaram a deixar o cargo, foi a falta de companheirismo de um setor, muito pequeno, dentro da própria instituição e deixou um agradecimento especial aos inspetores, que sempre colaboraram para um bom trabalho da Guarda.

SHARE

Author: verified_user

0 comentários:

Outros Blogs

Postagens mais visitadas

Arquivo do blog